31 de dezembro de 2016

Review dos 70.000 KM, o veredito.

[Alerta de textão]
Olá! Quanto tempo, hein? Pensou que eu tinha abandonado o blog? Sim e não! Apenas me afastei por um longo período. Uma mistura de preguiça (perdão), faculdade, trabalho, academia e outros fatos da vida me levaram a adiar a postagem no blog.
Não vendi a motoca não, estou com ela até hoje, firme e forte!

A ideia inicial era escrever uma espécie de "diário de manutenções" com as minhas experiências e compartilhar com todos. Porém como a moto não quebra eu acabei ficando sem assunto para tratar aqui! No final acabei registrando algumas dicas e fotos de outros Intrudeiros.

Visitando o bairro da Liberdade em São Paulo durante a semana.

Enfim, estou apenas explicando brevemente o motivo do abandono durantes estes anos. Sinceramente não sei se a volta será permanente, pois muitas vezes quando entro aqui, dá aquela vontade de atualizar o blog, mas criatividade não ajuda muito. Não é promessa de ano novo, porém prometo me esforçar um pouco mais em manter atualizado.


Ok, chega de enrolação Hélio, fale da moto!

Certo, vamos lá. Depois de 70 mil quilômetros rodados, o que eu posso dizer da nossa querida Intruder 125? SÓ ELOGIOS! Veja bem, eu não recebo um centavo da J Toledo Suzuki Motos do Brasil para publicar minha opinião sobre a moto, mas a verdade é meu nível de satisfação é total!

Um passeio noturno até o posto.

É uma motocicleta com mecânica confiável, guerreira e muito bonita!
Perfeita como primeira moto e uso diário. Se quiser ver minha opinião sobre os pontos positivos e negativos dela, recomendo a leitura da seguinte postagem.

Fiz uma lista das peças que troquei ao longo destes anos. Este texto é longo e por isso sugiro que prepare sua bebida preferida e desfrute deste review dos 70 mil da mesma forma que curti ao escrevê-la.


BATERIA

Comigo a bateria dura em torno de 1 a 2 anos na média. Utilizo a moto para ir trabalhar, para a faculdade, academia e passeios nos finais de semana. Ou seja, ligo ela todo dia! Por ela ter a partida elétrica, o consumo da bateria é maior em comparação com motos que possuem pedal para dar a partida.

Modelo de bateria para a Intruder 125

Pode perguntar para o seu amigo CGzeiro quando foi a última vez que ele trocou a bateria, aposto que não se lembrará.

Mas isso não é necessariamente um problema pois eu só rodo de farol alto. Imagino, então, que se eu maneirasse no uso do farol alto, talvez a vida útil da bateria fosse maior. Quem sabe 2 anos e meio, não sei.

Marca que utilizo: Yuasa YB7-A.
Variação de preço pesquisada: de R$ 277,00 a R$ 341,30 no mercado livre.
Última troca: em 09/11/2015.
Quilômetros rodados: não anotei, sorry.


PNEU

Os pneus dela duram bastante, troco em média a cada 2,5 anos. Estou utilizando no pneu traseiro um Pirelli City Demon 3.50.16. No pneu dianteiro coloquei um Michelin City Pro 2.75.18, ambos precisam de câmara.

Antes eu usava um pneu traseiro mais largo e quando troquei por um mais fino, senti a moto muito mais esperta e mais fácil de manobrar também. Já empurrei a moto com pneu traseiro furado até a borracharia com os dois pneus (largo e fino) e com o pneu largo eu me cansei muito mais.

Visite o link do anúncio desta imagem

Minha dica é; se um dia seu pneu furar, basta deixar ela funcionando, colocar na primeira marcha e controlar na embreagem / freio / acelerador. A ideia é você pilotar sem montar nela, entende?
Não fique sentado no tanque pois você estará forçando a roda no pneu murcho.

Não se esqueça que a moto já é pesada, afinal são mais de 100 Kg. Sem contar que o prego (ou qualquer objeto que furou seu pneu) estará lá dentro pra terminar de moer tudo e dependendo do tamanho ou formato do prego, poderá amassar a sua roda.

Aí você levanta atrasado pro trabalho e percebe que ...

Mas faça esse procedimento apenas se sentir confiança, a moto pode te derrubar "pilotando" dessa forma. Curiosidade: Nunca furei o pneu dianteiro, apenas o traseiro.
Todas as vezes causadas por pregos.

Marca que utilizo no pneu dianteiro: Michelin City Pro - 2.75.18
Variação de preço pesquisada: de R$ 107,83 no Submarino.com a R$ 131,00 na Americanas.com. Última troca: em 09/04/2016.
Quilômetros rodados: 64.321

Marca que utilizo no pneu traseiro: Pirelli City Demon - 3.50.16
Variação de preço pesquisada: de R$ 219,17 no walmart.com a R$ 279,00 no Paulinho motos.
Última troca: em 07/03/2016.
Quilômetros rodados: 63.534


KIT RELAÇÃO

Eu não sei qual é a marca que está instalada na moto atualmente, mas paguei por ele R$ 110,00.
No Kit relação vem a coroa, corrente e o pinhão. Na loja me disseram que era o "KIT original", mas não anotei a marca dele.

Dei uma olhada no Mercado livre, pesquisei "Kit relação original intruder" e achei alguns anúncios onde realmente a foto é idêntica da que estou utilizando, mas não consegui identificar a marca.

Imagem retirada deste anúncio.

A durabilidade do kit relação varia muito, depende da forma como o piloto conduz a motocicleta e também o nível de cuidado exigido na manutenção dela. Limpar, lubrificar e esticar a corrente são procedimentos que devem fazer parte da sua inspeção quinzenal ou semanal, mas isso depende de vários fatores.

Tomou chuva? Andou na lama? A sujeira que fica na corrente em atrito constante com o pinhão e a coroa, vai danificando ela com o tempo. A marca do kit que você pretende colocar vai dizer muito também, se você comparar um que custa R$ 50,00 reais e outro R$ 250, qual vai durar mais?

Mas não se engane, mesmo o KIT relação mais caro vai exigir muito cuidado na manutenção.
Dizem por ai que dá pra rodar de 10 a 30 mil quilômetros com um kit. Atualmente a minha tem 69.975 KMs rodados e já percebi que o pinhão está com os dentes curtos e logo menos terei que trocar.

A última troca do kit foi com 55.255 KMs rodados em março de 2015. São quase 15.000 KM de duração e devo confessar que não cuidei muito bem dela nos últimos meses.

Marca que utilizo: KIT Relação Original (marca não identificada).
Variação de preço pesquisada: de R$ 99,00 a R$ 135,00 (Marca Brandy) no Mercado Livre.
Última troca: em 27/03/2015
Quilômetros rodados: 55.255


ÓLEO E FILTRO DE MOTOR 

Aqui não tem segredo, você deve trocar o óleo e filtro sempre quando for necessário. Segundo o manual é a cada 3.000 KM's. Entretanto, muitos afirmam que deve se trocar a cada 1.000 KM. Sinceramente, eu não vou entrar nesta questão polêmica, mas acredito que trocar a cada mil quilômetros não fará mal algum ao motor.

No início eu trocava na oficina mas prestei atenção no que o mecânico fazia e percebi que não seria tão difícil tentar em casa, no final consegui até criar um passo-a-passo nesta postagem.

Imagem retirada deste anúncio do ML

Eu troco a cada 3 mil seguindo o manual e o motor está DEZ!!! A dica aqui é não deixar o óleo mais do que 3 meses no motor, não importa se rodou apenas 300 metros, ok?
Estamos falando do motor da sua moto e isso é um ponto muito importante.

E o filtro de óleo, trocar junto ou não? Tem gente que troca o filtro a cada duas trocas de óleo, eu troco no mesmo dia da substituição do óleo. Não vejo muito sentido um óleo novinho com filtro sujo.

Marca que utilizo: Óleo Yamalube 4t Sae 20w50
Variação de preço: de R$ 20,00 a R$ 30,00 reais no Mercado Livre.
Última troca: em 06/12/2016.
Quilômetros rodados: 69.586

Marca que utilizo: Filtro Oleo Valflex
 Variação de preço: de R$ 4,00 a R$ 15,00 no Mercado Livre.
Última troca: em 06/12/2016.
Quilômetros rodados: 69.586


FREIOS / PASTILHAS / DISCO 

Este item eu nunca sei a hora exata para trocar, vou sentindo a moto até perceber o momento certo. Quando o freio dianteiro começa a chiar sempre que é acionado, já sei que é a hora de trocar. É composto pelo disco de freio e pastilhas. Outras peças também compõem o freio dianteiro, mas cito apenas os mais trocados.

Imagem retirada deste anúncio do ML

As pastilhas serão trocadas com muito mais frequência do que o disco. Troquei apenas um vez o disco dela, pois estava fazendo um barulho terrível. Troquei por recomendação do mecânico pois estavam muito "afundadas".

Com o freio traseiro é a mesma coisa, assim que começa a fazer algum barulho diferente eu já levo na oficina pra trocar. As lonas traseiras começam a se desgastar e fazer um barulho parecido com o freio de caminhão.

Comigo, além do barulho, algumas vezes o freio traseiro dava uma "travada" ao ser acionada por muito tempo. Eu tirava o pé do pedal de freio, porém ela não voltava para sua posição original. Parecia mesmo que ia travar. Após troca da lona ela voltou ao normal.

Dica, lave a moto com mais frequência, se possível toda semana. A sujeira a longo prazo torna os freios dela menos eficientes.

Média de Preço do disco: R$ 50,00
Média de Preço da pastilha: R$ 20,00
Média de Preço da lona: R$ R$ 35,00
Última troca (pastilha/lona): em outubro deste ano (2016).
Quilômetros rodados: 68.450


PISCAS / LÂMPADA / LANTERNA

Por enquanto não tive nenhum problema referente à parte elétrica na moto.
Apenas trocas de bateria previstas na manutenção preventiva. Sobre as lanternas, eu considero os piscas originais da moto muito caros (custa em média R$ 100 reais o kit com 4 unidades).

Por isso apelei para o modelo mais simples da Honda CG 150, que custa bem mais barato. Um kit com 4 unidades sai por R$ 43,00 neste anúncio do ML, sem contar o frete e a possível mão de obra para instalar.

Imagem original no seguinte anúncio

Precisei trocar meu pisca esquerdo traseiro duas vezes, uma por descuido meu e outra quando um motorista de ônibus levou ele (sem vergonha, se recusou a pagar meu prejuízo).

Mas pelo preço do pisca, não valia a pena discutir e nem se estressar, mandei ele tomar naquele lugar e tudo certo! Na hora fiquei bem nervoso, mas depois passou.

Sobre as lâmpadas da lanterna dianteira e traseira, caso precise trocar, basta pedir pro mecânico outra igual de mesma potência. Se preferir, pode colocar LED.

Comum e LED na comparação

Coloquei no farol traseiro uma LED e até hoje não deu nenhum problema.
Relato: A lampada traseira estava queimando constantemente e eu não conseguia descobrir o motivo deste fato. Mas em conversa com o mecânico, ele me disse pra verificar se uma borracha que segura o bau da moto não estava encostando na lanterna.

Fui verificar e era exatamente isso. Troquei a posição da borracha e nunca mais a lâmpada traseira queimou. A vibração do bau, balançava a lanterna que balançava a lâmpada; esta por usa vez é composta por um fio enrolado que em constate vibração, quebra.

Marca que utilizo nas lanternas: HONDA
Variação de preço das lanternas (cada): de R$ 15,00 a R$ 50,00 no Mercado Livre.
Última troca: 05/11/2016 (pisca esquerdo traseiro)


DEMAIS PEÇAS: 

Vou resumir o restante das peças trocadas pro texto não ficar gigante e ninguém ler.

Cabo de embreagem; troquei uma vez apenas por precaução, pois percebi que estava "desfiando". PREÇO R$ 30,00.

Rolamento dianteiro; roda dianteira com barulho estranho, mecânico disse que era o rolamento quebrado. PREÇO R$ 40. Troquei apenas uma vez.

Mola descanço lateral; deu trabalho para achar, sabe aquela mola que puxa o pezinho pra posição inicial? Então! R$ 5,00. Troquei apenas uma vez.

Capa do banco; a capa do banco original comigo rasgava sempre no mesmo ponto. Cansado desta situação, levei em um tapeceiro que me cobrou R$ 50,00 e fez uma capa que dura até hoje. Melhor que o original no quesito durabilidade. Troquei de capa 3 vezes.


Finalizando

Tenho essa moto desde 2011 e até hoje nunca me deixou na mão. Na verdade me deixou apenas uma vez mas foi culpa minha mesmo, eu que vacilei em deixar pra última hora. Então, não conta.

Comprei um modelo usado em uma loja com 30.000 KM, ano de fabricação 2006 modelo 2007.

A disponibilidade de peças melhora a cada ano que passa. Ela é vendida no Brasil desde 2002 (fonte: Wikipedia) e não mudou quase nada em comparação com o modelo 2016/2017. Só muda o emblema no tanque e as cores, praticamente.

Uma visita ao mecânico para trocar os freios.

Sem contar que existem peças de outras motos que servem nela. Se na sua cidade for complicado encontrar as peças, você pode se antecipar e adiantar a compra via internet. Como se fosse uma reserva em caso de emergência, mas isso apenas em casos extremos.

O texto ficou longo mas acredito que terá sua utilidade. Espero que meu relato dos 70 mil te ajude na escolha de sua moto e que aproveite muito!


Mais dicas: 

- Consulte sempre um mecânico de confiança e siga o manual do proprietário.
- Não deixe quebrar pra trocar, pratique a manutenção preventiva sempre.
- Nunca tenha pressa ao pilotar, respeite os limites (seu, da rua e da moto).
- Compre um caderninho e anote toda manutenção da moto com informações como; data, preço, marca, quilometragem e data para próxima troca estimada. Assim você saberá todo histórico dela e isso te ajudará em futuras trocas. Só consegui escrever este texto graças ao caderninho.

Eu sou aquele cara que gosta das coisas muito bem explicadinhas, nos seus mínimos detalhes.

PS - As imagens das peças pertencem aos respectivos donos e seus anúncios foram linkados na postagem, não tenho compromisso nenhum com eles e a compra é por sua conta e risco, ok?

Agradeço a todos que já passaram por aqui, existem muitos comentários para ler e responder ainda.
Uma coisa de cada vez! Boas festas e um Feliz 2017!
Comentário(s)
11 Comentário(s)

11 comentários:

  1. Bom feliz ano novo, eu estou com minha fazer 150 dede 2015, e troco óleo cada 1.000 km tudo numa boa, filtro também, só não peguei a moto intruder 125, em nova Iguaçu, porque o vendedor um tal de Rafael me botou numa furada, e ficou me devendo 200 reais, safado o cara, eu podia ter feito um carnaval nessa loja que fechou, mas isso ficou para trás, fui à Yamaha queria fazer 250, mas a grana não dava, estou satisfeitíssimo com a moto, mas gosto mesmo de custom, ande em todas, mas a que, mas gostei foi da Bolt 250, olha muito gostosa, pretendo pegar ficar definitivo, mas desempregado a coisa fica difícil, em fim vou conseguir superar e comprar esta moto, para casar mesmo, não pretendo vender de jeito nenhum, um abraço e tudo de bom...

    ResponderExcluir
  2. Que boa surpresa no começo do ano hehe

    Você fez alguma outra modificação, ou instalou algo diferente na moto? Se sim poderia postar?

    ResponderExcluir
  3. Uia!!! O blog está de volta!!!!

    Parabéns pelo texto. Ficou ótimo!! Você devia escrever um livro :D

    By WC

    ResponderExcluir
  4. Pesquisei bastante para comprar minha primeira moto e essa semana ainda estarei com a minha Intruder! Achei uma moto bem simples, economica, prática e bonita. Nao tinha noção ainda de preço das peças. Obrigado por esse post, só me fez gostar ainda mais dessa moto.

    ResponderExcluir
  5. Estou pensando em comprar uma moto porque acho que o custo beneficio comparado a um carro é muito melhor. A Intruder 125 não é exatamente o que eu estava procurando mas seu texto me deu uma oura ideia sobre ela.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  6. Obrigada por fazer esse textão, ajudou-me a tomar a decisão final: comprarei uma "trudinha". A minha dúvida agora é: uma zero ou uma 2011??

    ResponderExcluir
  7. @Marcelo
    Fala Marcelão, e essa Bolt 250, é boa? Tem fotos?
    Abraço!

    @Anonimo
    Não mudei nada nela, apenas os piscas, coloquei de CG mesmo. É mais barato.

    @Roberto
    WildCats forever!!! Valeu Ratão! Muito obrigado

    @Anonimo
    Obrigado eu pelo comentário, não vai se arrepender de pegar a motoca! Abraço!

    @Fernando
    Sim, a moto é bem mais em conta que um carro. Não tem jeito.
    Não posso ter carro tão cedo, é muito caro. Abraço!

    @Tamires
    Imagina Tamires, fico muito feliz em ter te ajudado na escolha!
    Pega uma usada em bom estado, a moto é um trator. Zero KM é caro e
    hoje em dia eu acho muito difícil encontrar. Abraço!!!

    ResponderExcluir
  8. Que bom que ainda segue firme e forte com a Suzuki Intruder! Essa moto merece toda essa atenção, pois é uma ótima motocicleta!

    ResponderExcluir
  9. Tem que ficar sempre de olho na hora de comprar mesmo a motocicleta tem que vir intacta

    ResponderExcluir
  10. E quanto ao carburador, você precisou limpar alguma vez? Utiliza sempre gasolina aditivada? a minha acabou de passar dos 500km.

    ResponderExcluir
  11. @Claudio Barbosa
    Com certeza, Claudio. Melhor escolha que fiz!

    @Matheus
    Acredita que em todo esse tempo eu nunca mexi no carburador dela?
    5 anos sem nunca mexer no carburador. Utilizo apenas gasolina comum.
    A gasolina aditivada não funciona na minha. Ela fica engasgando e falhando com aditivada. Parabéns pela motoca, ainda está maciando né?

    Abraço!

    ResponderExcluir