20 de junho de 2012

O que eu aprendi depois do tombo

Guerreira!
Antes iniciar esse post, peço desculpas por abandonar o blog. Graças à Deus estou trabalhando muito e com isso acabei ficando sem tempo para me dedicar a escrever aqui! Mas vamos ao que interessa... Eu sempre acreditei que nessa vida, nada acontece por acaso. Também sei que neste trânsito maluco, temos que pilotar por você e pelos outros, porém todo esse conhecimento não foi suficiente para evitar minha queda no ano passado.


O motivo do meu tombo foi justamente o excesso de confiança e a falta de atenção ao redor. Eu não estava com pressa, simplesmente fui fechado em uma manobra totalmente previsível. Um tombo tão besta que nem eu acreditava que tinha caído. Precisei sentir a perna doer para a "ficha cair".

Pedal de freio amassado

Bem, depois do tombo e da recuperação, sentia muito receio em pilotar. Fiquei com medo de ser fechado ou de acontecer outro acidente. Com o tempo a confiança foi voltando, mas era diferente. Comecei a pilotar de forma totalmente defensiva. Posso afirmar que a regra mais importante é, NUNCA, jamais, em hipótese nenhuma, pegue a moto quando estiver atrasado.

Ainda mais se você for pilotar uma 125cc. A diferença que você ganha pilotando com pressa é insignificante, uns 3 ou 5 minutos no máximo. Tempo esse que você perde entre um semáforo e outro, entende? Primeiro, você estará se arriscando entre os carros e segundo, estará forçando a moto com aceleradas fortes e freadas bruscas.

Suzuki Hayabusa, um canhão!

Quantas vezes eu arrancava de um semáforo, deixava todo mundo pra trás e quando parava no próximo semáforo fechado, todos os outros me alcançavam novamente? Nessas horas me sinto um verdadeiro palhaço. Se fosse com uma Hayabusa, até que poderia justificar tamanha velocidade, mas mesmo assim não faria sentido dentro da cidade.

Hoje tenho uma visão totalmente diferente, a qualquer momento você pode se envolver em um acidente, basta um segundo de distração, infelizmente. Eu sei que lendo dessa forma pode parecer óbvio e etc. Parecia óbvio para mim também até o dia em que fui fechado! Portanto, cuidado nunca é demais. Ande dentro do limite e fique atento ao redor.

Para finalizar: Mais vale chegar atrasado neste mundo, do que adiantado no outro.
Comentário(s)
19 Comentário(s)

19 comentários:

  1. Achei muito bom o artigo. Acho que essas lições servem não só para os pilotos de moto como também para os pilotos de carro, mas bater com moto é bem diferente do que bater estando em um carro... então... que fiquemos realmente bem espertos. Acabei de comprar uma Intruder 125 e estou realmente preocupado com o trânsito, ainda mais pilotando em Belo Horizonte, aqui os motoristas são muito mal educados (e olha que sou daqui). É isso mesmo, todo cuidado é pouco e depois de acontecido.... já era....
    Abs e parabéns pelo blog, ja achei um monte de coisa bacana por aqui.

    ResponderExcluir
  2. E ai mano, meus parabéns pelo otimo blog!
    A cabei de comprar uma Intruder 125 faz uma semana hoje e ate agora so tenho a elogia sem falar na economia na gasolina, tenho uma xr250 e uma cb400! Abraço tudo de bom!

    ResponderExcluir
  3. Cara... abandonou o Blog de novo?? rsrs

    ResponderExcluir
  4. Olá estou a um mês curtindo a POderosa minha intruder 125 que agora faz parte da família...me surpreendi com o conforto.....valeuuu

    ResponderExcluir
  5. é isso aí mano... mesmo sem ter caído de moto , eu ja estou nessa sua visão, pois ja tomei alguns sustos, ficou no quase, mas ja foi o bastante pra me deixar mais ligado!! Obrigado por compartilhar suas experiencias!Nós intrudeiros temos q ser diferentes! Abração!

    ResponderExcluir
  6. Te dou os parabéns cara. É difícil encontrar alguém que pense assim hoje em dia. Fico impressionado como o pessoal não dá valor à própria vida, e o pior, não valoriza a vida dos outros. Já tomei muitos sustos dirigindo meu fusquinha aqui onde moro no RS. Inclusive as duas vezes que me envolvi em acidente foram motociclistas que bateram no meu carro. Na segunda vez, foi uma mistura de velocidade alta dele e falta de atenção minha devido à pressa, exatamente como escrevestes. Não tenho moto nem habilitação ainda, mas há muito tempo observo o comportamento do pessoal em duas rodas e me ponho no lugar deles pra imaginar o que eu faria. Espero que até o final desse ano eu compre minha intrudinha. Curti muito o seu blog, parabéns. Abraços.

    ResponderExcluir

  7. Ótima e oportuna colocação deste relato, parabens!
    Assim podemos tentar ao menos transmitir aos motociclistas bons ou não , coisas que podem fazer a diferença , e propor uma vida melhor em cima de uma moto.

    Alguns pontos que sugiro levar em conta , para se feliz :

    Quando estiver no trânsito:
    - Pense sempre que não está dentro daquelas latas de bacalhau
    imprensado entre tanta gente que nem sabe aonde vai descer.

    - Pense que aquele que esta aí ao seu redor de quatro rodas,
    estará parado talvez até algumas horas. E voce feliz continua indo pra casa devagarzinho mas sem parar.

    - Pense que quando chegar ao destino encontrará ao menos um cantinho para sua moto. E o cara que ficou na fila dos carros? hummmm!

    - Pense que voce não vai abastecer colocando no mínimo uns 100 reais de combustível. Sair do bolso apenas para uns 8 litros dá aquele alívio , não é mesmo?

    - Pense que quando for trocar pneu , não serão quatro.
    Apenas dois pneusinhos que até numa bicicletaria se troca.

    - Pense que na hora da revisão serão pouquissimos ítens
    que o preço será irrisório.

    - Enfim , pense que voce é feliz em cima de uma moto,
    e para que abusar disto se ser feliz é mais importante!!



    Tive aprox. 15 motos varias viagens interestaduais 20 anos de duas rodas e nenhum acidente. Hoje estou numa Boulevard M800
    e minha filha numa intruder.

    abr. a todos e prudência é pouco,
    a boca da moto é a seta e suas mãos tambem podem colaborar.

    ResponderExcluir
  8. Minha experiência pessoal pode ser útil para muitos.
    Ando cerca de 160 Km por dia na minha Intruder, apesar de ter uma moto maior 250cc, por causa do conforto, da agilidade maior no trânsito e, principalmente, da economia. Porém, por ser um moto pequena, os outros motorista respeitam muito menos. A diferença é notoria quando ando na 250cc, percebo uma preocupação dos outros motoristas que abrem espaço e mantém distância. Com a Intruder, por diversas vezes fui fechado por todo tipo de veículo: carros, pickups, vans, ônibus e outras motos. A atenção tem que ser total.
    A último fechada foi por um ônibus. Eu estava trafegando no meio da faixa e não tinham outros veículos na minha faixa. Eu percebi que um motorista de ônibus se aproximava pela minha direita. Ele queria antrar na minha pista para pegar a mesma saída que eu. Até então pensei que ele iria manter a velocidade e entrar atrás de mim. Continuei prestando atenção nele. O motorista acelerou e colocou, me deixando no meio do veículo e simplimente jogou para cima de mim. O detalhe é que eu o alertei antes da manobra com a minha buzina (tenho este hábito) e vi que ele me olhou no retorvisor. Mesmo assim, ele jogou o ônibus. Eu tive que parar, jogando a moto quase na mureta, pois a pista não tinha espaço para nós dois. Com a outra moto, isso nunca me aconteceu. Até os ônibus costumam respeitar, acho que temendo o estrago na lataria.
    Por isso, eu digo que quem anda de moto pequena tem que ter mais atenção ainda. Tem que dirigir de forma defensiva sim. As vezes nós fazemos uma manobra pensando que o outro motorista está olhando no retrovisor e nos vendo. Nunca acredito nisso. Eu sempre que passo por um veículo dou uma olhada no revisor para ver se o motorista está atento e olhando pro retrovisor. Na dúvida que estou sendo visto, eu buzino. Sei que é um hábito que muitos motoristas reclamam, mas é por uma questão de segurança.

    ResponderExcluir
  9. Cara, curti muito teus posts. Tô tirando carteira agora e depois de muito pesquisar, me decidi pela trudinha. Não quero correr mesmo, é só para ir de casa pro serviço, do serviço pra faculdade e da facul p casa novamente. Esse negócio do trânsito ser o maior querendo 'comer' o menor me assusta muito, e toda dica que vejo eu devoro. Aqui em Porto Alegre o trânsito é um caos em certos horários, e serão justamente os que eu pegarei. Mas amo motos, e nem consigo me ver dirigindo um carro. Meu negócio é duas rodas mesmo, e nem tô para o que o povo fala. Direção defensiva sempre e olho nos veículos ao lado. No mais, que meu anjo da guarda me proteja.
    Página curtida e recomendada no FB.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. josé n. silva.
    parabens aos amigos motociclistas de todo brasil,agradeço pelo conteudo aqui relatados, minha cidade guarulhos .sp - não perde em nada se tratando de responsabilidade no transito, motorista sem habilitaçao,embriagados, não respeitam as leis de transito principalmente nos finais de semana e a noite, porem quando estou pilotando minha intruder 125 2011,sempre que um veiculo realiza uma manobra perigosa,seja onibus,caminhão, carreta etc, ao perceber que tal atitude fui esposto ao risco de acidente a comida de rabo e certa e sarada, não me curvo jamais.

    ResponderExcluir
  11. Gostaria de tirar uma dúvida. Minha intruder está com 300 km rodados, e fiquei um pouco assustado com o consumo na primeira média. Ela fez apenas 30 km/l. Estou respeitando a rotação de amaciamento. A única coisa é que a lenta está em 2000 rpm. será que é por isso? Porque pelo que vejo a moto deve fazer mais de 35 km/l..

    ResponderExcluir
  12. Normal ela consumir mais no amaciamento. Depois ela vai se soltando, ficando mais ágil e econômica.

    ResponderExcluir
  13. valeu pela dica...

    vou pegar a minha primeira moto "tb intruder 125" daqui a 1 semana, e tenho muito medo do ecesso de confiança...

    ResponderExcluir
  14. Cara adorei essa motinho! Já tive , biz, CB400, Cagiva 500, Broz150, Falcon400 e esta moto me surpreendeu... muito legalzinha estou curtindo muito! Valeu!

    ResponderExcluir
  15. Legal! Gostei muito dos conselhos. Estou comprando minha 1ª intruder e pesquiso tudo á respeito, e por ser mulher, acho que vou ouvir muitas barbaridades no trânsito rs..
    Confesso que estou um pouco apreensiva, pois nunca pilotei antes, mas vou ser uma motociclista bem consiente dos perigos. Abraço à todos!

    ResponderExcluir
  16. Tenho uma Yamaha 125cc Factor ED e já tem 7 anos está com 35.000km rodado porque só ando no município onde moro o mais longe que vou até a praia grande cerca de 1 hora de distancia. Ela está em ótimo estado de conservação tanto de pintura como de motor nem aquela cor original do motor saiu porque o maximo que ando é 80 km p/h. Mas a próxima moto que estou pensando em comprar é uma Intruder 125 pelo motivo de falarem ser uma boa moto que aguenta o tranco não quebra fácil, é economica, só a manutenção que é meio escarça. Mas o principal também é o motivo de não ser muito visada por ladrões, como a Honda e a Yamaha. Pelo que eu li aqui no Blog ninguém falou mal da motinho. E eu acho o visual dela bem bonitinha. Já animei mais para comprar uma e o custo beneficio está muito bom.

    ResponderExcluir
  17. Vlw pelas dicas amigos...
    Comprei minha trudy ontem, e por ser minha 1º moto fico mto preocupado com as loucuras do transito aqui de sampa.
    Estou sempre me atentando a experiências alheias pra poder evitar fazer cabacice.
    Meu estilo eh ir na moral pra conseguir prever as cagadas q fazem ao meu redor, e acreditar que a benção divina nos proteja

    ResponderExcluir
  18. tenho uma hayabusa 2011 e estou namorando uma intruder. vou modifica la devagar...

    ResponderExcluir