Katana, a Suzuki com motor de Intruder

em 22 de fevereiro de 2012
-

Katana 125
Antes de qualquer coisa, é importante dizer que não estamos falando de uma adaptação caseira ou gambiarra. A Suzuki Katana 125 tem o mesmo conjunto mecânico da Intruder, mas com a diferença de ser um modelo Street. Eu nunca tinha ouvido falar nessa tal Katana, fiquei sabendo da existência dela por acaso.
Infelizmente ela não é mais fabricada no Brasil. Uma pena!


Depois de algum tempo observando as fotos, descobrimos outros detalhes interessantes. Parece que até o quadro utilizado é o mesmo da Intruder.

Motor 125 cc
Ela de fato compartilha muitas peças, o filtro de óleo, cabo do acelerador e as rodas raiadas são exemplos.


Nessa foto fica nítida a semelhança, mas logo de cara percebe-se os detalhes diferenciados. Retrovisor, para-lama, protetor de correte e a rabeta são de plástico. Cadê a churrasqueira (bagageiro)? O tanque, banco e farol dianteiro são diferentes.


Disco de freio e pinça da Intruder (acho que o garfo também)
A maioria das fotos eu encontrei em anúncios espalhados pela internet, não pedi autorização mas coloquei no fim do post a fonte (link original) de todas as fotos.














Especificações
Motor: 124cc, 4 Tempos, 1 Cilindro, Refrig. Ar, Comando OHC c/ corrente, 02-válvulas
Potência: 14cv a 9.500 rpm
Alimentação: 1Carburador 24mm
Lubricação: carter úmido
Ignição: Eletrônica 
Partida: Elétrica
Transmissão: 5- Marchas
Comprimento: 1985mm
Largura: 710mm
Altura do assento 745mm 
Peso à seco: 103kg
suspensão dianteira: Garfo Telescópico
suspensão traseira: Bichoque 5-reg.
Freio Dianteiro: 01 Disco
Freio Traseiro: Tambor 
Pneus: 2.75x18(frente),90/90x18 (traseiro)
Tanque: 11 Litros
Medições
Vel. máxima: 106 Km/h
0 a 100 Km: - - -
Consumo médio: 34 Km/l


Fontes:

12 Comentários:

Anônimo disse...

Olá, a Katana esteve por aqui em meados dos anos 90. Seu projeto é antigo, tal qual é a da Intruder. Este modelo foi um retumbante fracasso de vendas no Brasil. Contudo foi o start da Yes e da Intruder. Neste ponto, J.Toledo acertou. Amargou as vendas e o fim da Katana e alguns anos depois trouxe a Yes e a Intruder, ambas 125cc. Para os números da Suzuki no Brasil, não é exagero dizer que o número de vendas da Yes/Intruder é bastante significativo. Por isso, digo que a Katana é a mãe das 125cc das Suzuki no Brasil.

Gustavo Schlottag disse...

Aqui foi usada pelos correios, como hoje utilizam as intruder 125.

Anônimo disse...

14 cavalos!!!!! Essa informação está correta? Saberia me dizer o que essa suzukinha tinha de diferente da Intruder (no motor) pra gerar essa potência toda?

Hehehe, queria que a minha trudinha gerasse 14 cavalos! Meu Deus, seria um foguetinho, kkk

Saulo

Anônimo disse...

A Intruder gera 12 !

Anônimo disse...

a intruder parece mais com a FOSTI

Marcio Sette disse...

E Feia !!

Anônimo disse...

Sou eu de novo Daniel Gustavo BH Minas Gerais

Amigos Ja fui um feliz Proprietário da Katana 125 preta 1998 ela era ótima. rodei 182.000 Km com manutenção básica

Amigos esta moto era otima mal vista pelos HONDAMANIACOS mas de durabilidade superior a qualquer uma.

seu projeto e o mesmo da intruder e a yes nada mais é que uma Katana com roupa nova

os 14 cv era melhor fornecido quando trocava o carburador original pelo pd 26 mecanico

um abraço a todos

otoniel freitas miranda disse...

eu gosto muito da suzuki tenho uma sei muito bem da qualidade do produto que estou falando mas estou precisando do tensor da corrente de comando da mesma que aqui na minha regiao nao encontra de jeito nenhum . alguem pode me indicar um lugar aqui no parana que eu encontre as peças pra minha suzuki katana 125. desde ja agradeço quem me responder.

ALANFERNANDES disse...

Infelizmente? era uma moto bem feinha mesmo sendo durável! e a Suzuki como sempre demorou trocar pra Yes que já chegou com design ultrapassado e está até hoje.

Anônimo disse...

Eu fui um feliz proprietário de uma fantástica Katana 125 ano 97. Esta moto me surpreendeu com seu ótimo desempenho e economia. Na rodovia dos trabalhadores nenhuma CG conseguia me ultrapassar e fazia a média de 35 Km/l. Sua pequena carenagem tirava todo o vento do peito, a única moto 125 da época que trazia isto de fábrica. Realmente foi uma pequena notável. Hoje eu ando de Sahara que é outra moto notável.

Anônimo disse...

TENHO UMA ATE HOJE, DESDE 1997 DE COR AZUL NUNCA ABRI O MOTOR. SÓ TROCO O OLEO E COLOCO GASOLINA. A MINHA RASTA UMA CARRETINHA DE SOM TODO SANTO DIA E NUNCA ABRIU O BICO. A ÚNICA COISA QUE ACONTECE NO BRASIL É QUE QUANDO CHEGA UM MODELO AQUI INFELIZMENTE DE ALGUM MODO JÁ ESTÁ ULTRAPASSADO LÁ FORA E A NOTICIA CORRE. QUALQUER MARCA É ASSIM. CARRO OU MOTO. EX. NOVO UN O LÁ FORA DESDE 1995 É CONHECIDO COMO EVO.

Anônimo disse...

TENHO UMA ATE HOJE, DESDE 1997 DE COR AZUL NUNCA ABRI O MOTOR. SÓ TROCO O OLEO E COLOCO GASOLINA. A MINHA RASTA UMA CARRETINHA DE SOM TODO SANTO DIA E NUNCA ABRIU O BICO. A ÚNICA COISA QUE ACONTECE NO BRASIL É QUE QUANDO CHEGA UM MODELO AQUI INFELIZMENTE DE ALGUM MODO JÁ ESTÁ ULTRAPASSADO LÁ FORA E A NOTICIA CORRE. QUALQUER MARCA É ASSIM. CARRO OU MOTO. EX. NOVO UN O LÁ FORA DESDE 1995 É CONHECIDO COMO EVO.

Postar um comentário

 
Minha Intruder 125 - Todos os direitos reservados. | Template Clean, criado por Tutoriais Blog.